29 de novembro de 2017

Senhor das Moscas

Senhor das Moscas é um livro escrito por William Golding e publicado originalmente em 1954. Apesar de não ter feito sucesso na época de seu lançamento (vendeu aproximadamente três mil exemplares), se tornou um clássico e ganhou várias adaptações para o cinema e para o teatro.
O enredo é relativamente simples, mas as nuances da história é que dão a complexidade capaz de intrigar o leitor e provocar reflexões sobre as situações vividas pelos personagens e especular sobre as alegorias acerca da natureza humana ali contidas.


A trama se passa no período da Primeira Guerra Mundial, motivo pelo qual, um avião cheio de crianças parte da Inglaterra com o intuito de levá-las para um lugar seguro durante este período conturbado. Ocorre que o avião cai em uma ilha deserta e entre os sobreviventes não há nenhum adulto. Ralph, um dos garotos, encontra uma concha do mar e ao soprar nela, emite um som que funciona como um chamado, fazendo com que os demais garotos que ouviram o som, fossem a seu encontro. A concha, então, passa a ser o símbolo da ordem, o instrumento capaz de convocar reuniões e cujo som juntou todos os garotos.
Desde este primeiro encontro, os meninos se vêem entre dois líderes: Ralph, o garoto que encontrou a concha e que passa uma imagem de confiança e responsabilidade; e Jack, garoto de postura mais imponente, uma imagem de força que se empenha em mostrar a importância de serem um grupo de caçadores e desbravadores da ilha.
O que começou como uma grande festa, sem adultos para estragar a diversão, começa a ficar complicado com o surgimento de boatos a respeito de um “bicho” que habitaria a ilha. Os meninos menores são os que dão origem a essa história e os mais aterrorizados pela ideia. O grupo de caçadores resolve fazer oferendas para o tal “bicho”, então toda vez que matam um porco, deixam a cabeça (espetada em uma estaca) para ele.
Com o clima de insegurança, os conflitos começam a se acalorar e as personalidades e arquétipos dos personagens começam a ficar ainda mais definidas. Ralph é obcecado com a fogueira, pois vê nela a grande chance de serem vistos, resgatados e, assim, voltarem para o mundo civilizado. Jack se empolga cada vez mais com a vida em sua fantasia de caçador e sobrevivente, deixando para trás os antigos códigos morais e condutas para criar seu novo mundo, onde os fracos não tem vez.
Neste meio, os outros garotos tomam seu lado e os acontecimentos seguintes encaminham os garotos para a perda de toda ordem e razão, levando-nos a reflexão central do livro: o ser humano, naturalmente, tende a selvageria na ausência de uma força ou ordem superior?

Há diversas interpretações para as alegorias presentes na história. Enquanto para alguns a crítica central é a fragilidade da civilização, para outros é a origem do mal. No livro, essa segunda hipótese é ainda mais chocante, vez que coloca todos os arquétipos em crianças, incluindo a razão, a fé e o próprio mal.
Sob essa segunda perspectiva, podemos ver até algumas referências bíblicas. Primeiro, na ilha onde os garotos ficam presos, cheia de arvores frutíferas, água potável, companhia e tudo mais que possibilitaria sua sobrevivência, um paraíso (como o Eden). Depois, há a quebra da única regra acordada entre os meninos, provocando um conflito. Então, os rumores começam a surgir, trazendo a ideia do “mal”. O próprio nome do livro faz referência ao Mal, já que “Senhor das Moscas” é como o “bicho” que aterroriza a ilha refere-se a si mesmo na conversa com um dos garotos. Este título pode ser encarado como uma referência ao chamariz de moscas que se torna a cabeça de porco oferecida ao “bicho”, mas também é uma alcunha de Belzebu, um demônio bíblico.
Recomendo muito a leitura deste livro para que você possa tirar suas próprias conclusões acerca da história e suas alegorias. Garanto que o livro é curtinho e provocativo o suficiente para proporcionar uma leitura rápida e intensa.
A minha edição é da editora Alfaguara. Tem uma capa brochura muito bonita, remetendo a ilha paradisíaca palco da história. As folhas são amareladas, de boa espessura e boa diagramação, melhorando ainda mais a experiência de leitura.
O livro tem uma boa adaptação para o cinema, feita em 1990 e dirigida por Harry Hook. Apesar de algumas diferenças pontuais, a trama e as reflexões apresentadas no filme são bem fieis a obra original. No entanto, recomendo que se você tiver interesse em ler o livro, veja o filme só após a leitura. Eu fiz o contrário e, inconscientemente, boicotei minha leitura por não querer encontrar certos pontos do desfecho.
Outra recomendação que tenho inspirada no livro é a música do Iron Maiden, do álbum The X Factor, “Lord of The Flies”. A música, gravada originalmente pela voz forte e marcante de Blaze Bayley, traz a atmosfera do livro, especialmente a visão do personagem Jack.


                                  Lord Of The Flies                                               Senhor Das Moscas                                                   
  
I don't care for this world anymore,                             Eu não me importo mais com esse mundo

I just want to live my own fantasy                                 Eu só quero viver minha própria fantasia

      Fate has brought us to these shores,                              O destino nos trouxe até aqui                       

what was meant to be is now happening                     O que estava para acontecer agora está acontecendo



I've found that I like this living in danger                     Eu percebi que gosto de viver a vida em perigo

Living on the edge it feels, it makes me feel as one    Vivendo ao extremo, nos faz sentir como o um só

Who cares now what's right or wrong, it's reality      Ninguém se importa com o que é certo ou errado, é a
                                                                                     realidade

Killing so we survive wherever we may roam              Matando conseguiremos sobreviver onde quer que nós
                                                                                        andemos


Wherever we may hide, we've got to get away          Onde quer que possamos nos esconder, temos que
                                                                                       escapar!


I don't want existence to end,                                       Eu não quero que a existência termine,

we must prepare ourselves for the elements             Temos que nos preparar para todas as possibilidades

I just want to feel like we're strong,                              Eu apenas quero sentir nossa força,

we don't need a code of morality                                 Não precisamos de um código moral

I like all the mixed emotion and anger                         Gosto dessa mistura de emoção e raiva

It brings out the animal, the power you can feel        Isso faz despertar o animal, a força que você sente

And feeling so high with this much adrenaline           E sentindo-se tão bem com tanta adrenalina

Excited but scary to believe what we've become       Empolgados, mas assustados, ao acreditar no que nos
                                                                                            tornamos


Saints and sinners, something willing us                      Santos e pecadores, algo nos chamando,

We are lord of the flies                                                   Somos os senhores das moscas

Saints and sinners, something within us                      Santos e pecadores, algo dentro de nós,

To be lord of the flies                                                      Somos os senhores das moscas

Saints and sinners, something within us                      Santos e pecadores, algo nos chamando,

To be lord of the flies                                                      A sermos os senhores das moscas







    Share on Facebook Tweet about this on Twitter Share on Google+ Pin on Pinterest Share on Tumblr Digg this Share on LinkedIn

0 comentários :

Postar um comentário