13 de setembro de 2016

Dark Sanctuary

Hoje vim indicar pra vocês uma banda com um som atmosférico/neoclássico da qual gosto muito, a francesa Dark Sanctuary.
           Formada em 1996, essa banda traz uma combinação harmoniosa de música doce e sombria, com muito violino, piano, órgão, vocais líricos e uma atmosfera bem fantasmagórica. São vários elementos que eu amo e que juntos soam como o paraíso.

Embora essa discrição, a primeira vista, possa remeter a uma lista sem fim de bandas de metal sinfônico que apresentam alguns desses elementos, um dos diferenciais do Dark Sanctuary é que esta não é uma banda de metal. A banda raramente faz uso de guitarras em suas músicas e quando o faz, é por pouco tempo.
 Outro fato interessante sobre a banda é que a maioria das músicas dela são cantadas em francês, o que pra mim, acrescenta uma camada a mais de beleza e delicadeza às músicas, que já têm um tom bem sombrio.
 Os temas das canções vão de anjos a amor e paraíso. As músicas sempre apresentam-se lentamente, e os doces vocais quase chegam a ser hipnóticos, se encaixando com os instrumentos em segundo plano. Como se isso não fosse suficiente para caracterizar uma atmosfera obscura, temos ainda alguns outros elementos como o soar de sinos de igreja, trovões e chuva caindo, por exemplo.
 Desde o inicio, a banda já trazia uma proposta musical, ao meu ver, no mínimo atraente: combinar elementos do folk, medieval e neoclássico, embora a formação inicial da banda contasse com apenas dois integrantes. Foi inclusive com essa formação: Arkdae (teclados) e Marquise Ermia (vocais) que eles gravaram seu primeiro trabalho, Funeral Cry, que continha uma única faixa de quase 20 minutos.
 Em 1998, outros membros juntaram-se ao Dark Sanctuary, incluindo uma outra violinista, iniciando logo em seguida, as gravações de seu primeiro álbum, "Royaume mélancolique", e fazendo, neste mesmo ano, sua primeira apresentação em público.
 No ano seguinte, eles assinaram com a gravadora "Wounded Love Records", e gravaram seu segundo álbum “De Lumièreet d’Obscurité”, lançado em 2000. Este é um dos meus álbuns favoritos da banda, porém foi seu terceiro álbum, "L'Etre Las-l'enversdumiroir", o responsável por estabelecer a banda como uma das maiores deste estilo, devido a seu enorme sucesso na França e na Alemanha.
           A banda possui sete álbuns e não posso deixar de indicar dois: "De lumière Et d’Obscurité" e "LesMemoires Blessées", que são os meus favoritos e que, felizmente, estão disponíveis no spotfy. Aqui embaixo tem uma pequena playlist minha para lhe apresentar ao atmosférico som do Dark Sanctuary, espero que gostem!
  


    Share on Facebook Tweet about this on Twitter Share on Google+ Pin on Pinterest Share on Tumblr Digg this Share on LinkedIn

0 comentários :

Postar um comentário