31 de março de 2016

Hop-Frog - #12MesesDePoe

Chegamos ao fim de março e esse é mais um post do 12 Meses de Poe. Caso você não saiba do que estou falando ou ainda não tenha visto os posts anteriores, pode clicar aqui.

O conto lido pra este mês é Hop-Frog e, apesar de ser bem pequeno assim como o passado, tem um enredo mais fácil de discutir sem dar spoilers e é o que tentarei aqui...
Ilustração de Stefan Mart
Hop-Frog (rã-saltitante) é o apelido que o rei e sua corte deram ao bobo da corte, um anão que devido a uma deformidade em uma das pernas andava de forma diferente. 
“De fato, Hop-Frog podia mover-se apenas por meio duma espécie de passo interjetivo - algo entre um pulo e uma contorção (...)”. 

Hop-Frog foi arrancado de sua terra natal e enviado como presente ao rei para que o entretesse, dado o grande apreço do rei pela “pilhéria”. Tripetta (também anã, mas ao contrário de Hop-Frog, “de corpo bem proporcionado e maravilhosa dançarina”) também chegou a corte da mesma forma e por compartilharem este triste destino, tinham uma certa afeição  um pelo outro.

Hop-Frog é descrito como imaginativo e dono de uma mente rápida e sagaz o que o faz um ótimo bobo da corte, muito embora o rei e seus ministros preferissem as piadas e brincadeiras mais simplórias ou com encenação.

Certo dia, em uma reunião para decidir o que o rei e seus ministros usariam no Baile de Máscaras que estava prestes a acontecer no reino, Hop-Frog e Tripetta foram chamados para ajudar com ideias. A ajuda se fazia necessária porque os nobres eram muito gordos e não achavam nada que lhes caíssem bem. 

Na ocasião, o rei obriga Hop-Frog a beber vinho, o que causava um grande mal ao anão. Ao ver o tormento de seu amigo, Tripetta decide intervir gentilmente em prol de Hop-Frog. O rei encara a atitude dela como uma grande audácia e acaba jogando vinho em seu rosto, humilhando-a.

Hop-Frog esconde sua ira enquanto se recupera da tontura provocada pela bebida e propõe ao rei e sua corte que preguem uma grande peça em todo reino durante o baile, uma brincadeira que, segundo ele, era muito comum em sua terra natal, chamada “Os Oito Orangotangos Acorrentados”.

Os nobres ficaram muito empolgados com a grandiosidade da brincadeira onde se fantasiariam de orangotangos e dariam um belo susto em todo o reino e logo aceitaram a sugestão do anão. Obviamente, Hop-Frog estava tramando algo bem mais tenebroso que uma simples brincadeira para divertir o rei e seus ministros, mas para saber do que se trata exatamente, vocês vão ter que ler pra descobrir.

Podemos reparar que na construção do protagonista, coisas como a crueldade de ser arrancado de seu lar para ser dado de presente a alguém como se fosse um simples brinquedo e a saudade de casa ajudam a fortalecer o desejo por vingança. Além disso, não sabemos o nome verdadeiro de Hop-Frog nem sua origem certa, confirmando que não havia a mínima preocupação com quem era ele, realmente. Tudo o que o monarca queria era ter seu desejo por risadas realizado, muitas vezes, inclusive às custas da degradação/ ridicularização de outrem. Sabendo disso, vemos que não foi a humilhação da amiga que tenta defendê-lo que causou tudo, este fato foi apenas a última gota que fez a raiva transbordar e culminar no ato vingativo.

Acredito que "Hop-Frog" é um conto que vale a leitura porque além do enredo interessante e da narrativa bem feita, tem pouco mais de 10 páginas (e olha que a minha edição é poket!), ou seja, pode te proporcionar um momento bom de leitura e, na hipóteses de você não gostar, vai ter te tomado pouquíssimo tempo. 

É interessante, também, notarmos neste terceiro conto a presença de, ao menos, dois elementos comuns às histórias de Poe: a vingança e a perturbação causada pelos dentes de algum personagem. Trazendo um paralelo com o que já lemos no projeto, podemos ver estes mesmos elementos também no conto de janeiro (Metzengerstein) que traz a rivalidade de duas famílias nobres de uma região e um misterioso cavalo de “dentes sepulcrais e repugnantes”. Além destes, outros contos também trazem esses elementos e alguns até leremos pro #12MesesDePoe, fiquem atentos!



    Share on Facebook Tweet about this on Twitter Share on Google+ Pin on Pinterest Share on Tumblr Digg this Share on LinkedIn

5 comentários :

  1. Ansiosa por BERENICE! <333

    Adorei a resenha amiga, já linkei no blog e o post vai pro ar hj! Obrigada pelo apoio de sempre e por participar do projeto, sem pessoas como você ele não seria nada!

    Beijos!
    http://anna-costa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também estou ansiosa por Berenice, Anna!
      Fico muito feliz que tenha gostado! Muito obrigada por ter iniciado esse projeto lindo e por dar todo o apoio pra quem participa, está sendo uma experiência maravilhosa pra mim!
      Beijão!

      Excluir
  2. Maravilhosa resenha! Continue publicando!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Juliana!
      Continuarei sim, estou adorando o projeto!
      Beijo e até mais!

      Excluir
  3. A resenha ficou ótima!
    E acredito que sem spoilers também ^^
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir