1 de novembro de 2015

O Rei de Amarelo, Robert W. Chambers

O Rei de Amarelo, de Robert W. Chambers é uma coletânea de contos lançados em 1895 que giram em torno de um livro mítico e aterrador chamado também de O Rei de Amarelo. A metalinguagem aqui presente refere-se a uma peça que em momento algum temos acesso (nem mesmo trechos). Nessa mitologia, o livro/peça “O Rei de Amarelo” enlouquece completamente qualquer pessoa que ouse lê-lo.

Um pequeno background

Esse livro (ou talvez fosse melhor dizer esses contos?) estava bem esquecido até que a série True Detective fez menção à obra em alguns episódios. Depois disso, surgiu em muita gente o interesse em ler os contos de Chambers para entender melhor as referências e, com isso, o de editoras em republicá-los.

Confesso que apesar de falarem muito bem da série, ainda não a vi. No meu caso, o que chamou a atenção para a obra foi saber que ela serviu de inspiração para as obras de H.P. Lovecraft, que é um autor cujo trabalho eu adoro.

Lendo o Rei de Amarelo, pude perceber claramente algumas coisas que tiveram influência em Lovecraft e o próprio livro fictício que dá nome à coletânea provavelmente foi o que inspirou a criação do Necronomicon do Universo dos Mitos de Cthulhu. Isso porque dentro de seus universos, tais livros amaldiçoados trazem um conhecimento terrível que pode tirar completamente a sanidade dos que o lerem, apresentando verdades ou terrores inimagináveis.
***

Sendo assim, os quatro contos dessa pequena coletânea trazem histórias de pessoas que, em diferentes circunstâncias, tiveram contato com o Rei de Amarelo.

O primeiro conto é “O Reparador de Reputações”. Ele narra a história de um homem (possivelmente de família nobre) que foi internado num sanatório por um tempo e durante esse tempo conhece o Sr. Wilde, que seria o tal reparador de reputações. Este senhor acaba lhe passando alguns “conhecimentos”, que acabam despertando nele uma obcessão por alguns ~artefatos misteriosos.  A medida que você lê o conto, a desconfiança de que essa loucura foi causada por ele ter lido O Rei de Amarelo vai ficando maior devido a utilidade que teriam os tais artefatos.

Em seguida, temos o conto “A máscara”. Neste conto, o protagonista é um jovem artista, cujo melhor amigo (que é escultor), descobre por acaso uma fórmula que marmoriza matéria orgânica. Toda a história vai girar em torno dessa fórmula e os acasos, desventuras ou alegrias que ela irá trazer.

“No átrio do dragão” é um conto bem interessante pela sensação de perseguição que traz. Neste conto, o protagonista se sente intimidado por uma presença misteriosa que parece estar em seu encalço e faz tudo possível para escapar disso, buscando refúgio num lugar chamado átrio do Dragão.

Por último, temos “O Símbolo Amarelo”. Aqui também o protagonista é um artista, mais precisamente um pintor de quadros. Durante um de seus trabalhos, o pintor percebe a presença de um estranho embaixo de seu atelier. Com o passar do tempo essa presença que se torna constante e não apenas perto de seu trabalho, mas em todo lugar que ele está. Isso vai agustiando-o cada vez mais, até o momento em que ele decide confrontar seu vigia. Este é disparado o meu conto favorito e também, o que tem a presença mais forte do livro “O Rei de Amarelo”.

A editora Intrínseca tem uma edição para o livro que traz 10 contos de Chambers e, embora o nome do livro seja o Rei de Amarelo, só 4 desses 10 contos tem a presença dessa figura mítica.

A minha edição é da Editora Clock Tower e traz apenas os 4 contos que se passam no Universo do Rei de Amarelo. Traz também alguns extras que enriquecem bastante a publicação porque serem obras que serviram de inspiração para Chambers. Além disso, temos uma pequena biografia de Robert W. Chambers, que pode ser bem interessante para quem, assim com eu, não conhecia o autor e algumas ilustrações em preto e branco por Daniel Lopes Mathias.


Os Extras

O conto ‘Um habitante de Carcossa’ é o primeiro dos extras. Vemos várias vezes essa cidade sendo citada nos contos como um lugar horrendo. É desta obra que vem a referência da cidade macabra referenciada várias vezes na obra de Chambers.

Depois disso temos o conto A máscara da Morte Rubra de Edgar Alan Poe que, creio eu, dispensa apresentações.

O terceiro extra, veja você, é um poema chamado Carcossone e foi o que inspirou o conto (que é o primeiro dos extras) que inspirou Chambers. Vê se isso não é incrível: a referência da referência da obra que você tem em mãos!

O último extra é “Haiita, o pastor”. Aqui neste conto é mencionado algumas vezes o Deus Astur que é citado várias vezes também nos contos de Chambers.
***

Os contos são legais, num geral, apesar disso não entrariam para os meus favoritos.  Acho que uma das coisas que mais gostei da edição, essa vontade de te passar o máximo de conhecimento sobre o que você está lendo, com extras que realmente acrescentam sua percepção ou enriquecem seu entendimento da obra. Depois de ver esse cuidado, fiquei encantada!

A Editora Clock Tower é uma editora independente e seus livros são lançados através de crowdfunding (financiamento coletivo) e no finalzinho do livro, depois da apresentação das pessoas que trabalharam na edição, tem uma partezinha com o nome de todos os colaboradores que compraram a obra em pré-venda. Achei isso legal porque é, de certa forma, um reconhecimento que a editora dá aos seus apoiadores/ leitores.




    Share on Facebook Tweet about this on Twitter Share on Google+ Pin on Pinterest Share on Tumblr Digg this Share on LinkedIn

4 comentários :

  1. Eu vi algumas pessoas falando desse livro e fiquei muito curiosa. Se não me engano, até vi uma publicação que você fez no face também. Agora vendo essa resenha, fiquei com mais vontade ainda de ler. Adoro contos, principalmente com essa temática misteriosa. Na primeira oportunidade que tiver, vou comprar. Preciso ver isso de pertinho.
    Beijão.

    http://creepybeauty.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que goste, Su!
      A edição da Intrínseca tem um preço legal e além de ter mais contos que essa minha edição, tem um preço melhor também. ^^
      Beijão e até mais!

      Excluir
  2. Achei bem interessante a proposta do livro. Me deu uma vontade enorme de ler! ^^
    Depois vou procurar um exemplar pra mim, com certeza!
    Ótima resenha!
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Mone!
      Te indico a edição da Intrínseca, porque além de ter um preço bom e mais contos, tem várias notas de rodapé que são uma mão na roda!
      Beijão e até mais, lindona!

      Excluir