22 de abril de 2015

Maus, a história de um sobrevivente

Oi, pessoal. Tudo bem com vocês?

A postagem de hoje é sobre Maus, que é um título bem conhecido e uma obra aclamada, especialmente para os leitores de Hqs. Essa foi a única HQ a ganhar o Prêmio Pulitzer, que é um importante prêmio jornalístico. A HQ também é considerada um clássico contemporâneo das histórias em quadrinhos. Já deu pra ver que tem peso, né?


Originalmente, Maus foi publicado em duas partes, a primeira em 1986 e a segunda em 1991, mas hoje em dia, as edições trazem tudo em um único volume. No Brasil, a HQ foi publicada primeiramente pela Editora Brasiliense, mas atualmente sai pela Editora Companhia das Letras (sob o selo Quadrinhos na Cia).


Essa obra conta a história real de Vladek Spiegelman, um judeu-polonês (e pai do autor Art Spiegelman) que sobreviveu ao Holocausto e, que esteve em um dos piores e mais conhecidos Campos de Concentração nazista: Auschwitz.


No início, vemos como Vladek e Anja (mãe de Art) se conhecerem, como ficaram juntos e se casaram, retratando a vida dos judeus antes da guerra. Depois disso, vemos os primeiros vestígios da guerra, como a vida aos poucos foi se modificando e como se viram sem nada. Famílias foram separadas, os que eram capturados que sumiam ou enfrentavam uma peregrinação pelos campos de concentração e, assim, Vladek teve de inventar diversas manobras e jeitinhos com intuito de sair de todo esse martírio vivo com a esposa.

Se só essa história já daria um enredo incrível, essa história em quadrinhos traz algo a mais: De uma forma magistral, Art faz uso de metalinguagem pra contar a história de como escreveu a HQ, (os encontros e conversas com o pai), e aí, somos levados a conhecer um pouco mais da vida do próprio autor, transformando Maus quase em uma ‘dupla biografia’.

Maus, como diz o subtítulo, é realmente a História de um Sobrevivente e uma de suas coisas mais marcantes é justamente essa pessoalidade, vemos a guerra de uma escala bem menor, e vemos como a experiência de Vladek na Segunda Guerra influenciou na relação que teria com o filho e com todos, após isso. Uma boa citação pra evidenciar isso é quando Vladek (que não é retratado apenas como um bravo sobrevivente da segunda guerra, mas também como um grande sovina e até racista) fala: "Depois de Hitler, não consigo jogar nada fora"

Nessa hora você realmente vê os dois lados. Se hoje vemos um velho, pão duro e rabugento, isso talvez tenha sido fruto dos imensos traumas, como a fome que passou durante a guerra, nesse caso.

O talento do autor e seu diferencial pode ser notado também, na excelente metáfora que se utilizou para retratar os personagens na história. Aqui, os judeus são representados como ratos (maus, em alemão), os alemães como gatos, poloneses como porcos, franceses como sapos e norte-americanos como cachorros. A arte da HQ é toda em preto e branco, o que até contribui com o tom pesado da narrativa. 

Nas partes que retratam ‘o presente’ e a vida de Art, vemos o que ele pensa a respeito da história e do próprio pai, das mágoas e angústias que cercam sua família. Nesse contexto, vemos uma antiga HQ  escrita por Art, bem sombria e carregada que conta sobre a morte da mãe dele, (que também foi uma sobrevivente). A morte de Anja foi dos fatores que contribui para o estremecimento da relação com o pai. 

Enfim, Maus é uma obra única. A habilidade narrativa de Art Spiegelman, seu uso de metáforas, metalinguagem, a história de Vladek, sua história pessoal, os dramas familiares a maneira sinsera que a história é contada e como somos transportados da história de Vladek na Segunda Guerra, para os dias atuais e para a cabeça de Art, são um conjunto que tornam essa Grafic Novel magistral.


O preço dessa HQ no Brasil gira em torno dos R$ 30,00 e é um investimento que vale bastante a pena. Aos que preferem ler no computador ou em e-readers, vocês podem encontrar essa HQ para download sem muito trabalho.


Se você gosta de biografias, ou dramas ou mesmo se interessa por histórias da segunda guerra, eu mais que recomendo a leitura desta obra.

Espero muito que tenham gostado, beijo e até mais!


    Share on Facebook Tweet about this on Twitter Share on Google+ Pin on Pinterest Share on Tumblr Digg this Share on LinkedIn

8 comentários :

  1. Tenho a edição completa(com as duas edições apenas em uma).
    E pode-se dizer que é um livro ilustrado, de tanta firmeza e informação que podemos absorver dessa HQ.
    Um grande amor, e fundo de reflexão.
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A minha edição também é volume único.
      Concordo plenamente, a solidez e quantidade de informações que tem nesse quadrinho são muito enriquecedoras. Outro dia estava vendo uma foto dos portões de Auschwitz e na hora lembrei dessa entrada ilustrada no quadrinho, muito parecido e isso mostra a preocupação do autor de retratar as coisas mais fielmente possível, o que é ótimo.
      Obrigada pela visita e volte sempre, Paola! <3

      Excluir
  2. Não conhecia este livro mas com certeza irei procurar ,obrigada pela dica ... achei bonita a ilustração ,bem impactante ....

    Venha me visitar : http://jessicavenenoofficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jéssica!
      Procura mesmo, vale muito a pena!
      Vou visitar sim!
      Beijo e até mais! ^^

      Excluir
  3. Disse tudo Thays, essa é realmente uma HQ incrível e é realmente um grande investimento, tanto na estante quanto de conhecimento também. Acho enriquecedor ver a guerra e o nazismo do ponto de vista de quem realmente viveu isso, ver os dois lados da história. Teu post tá completamente perfeito ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Vân!
      Também gosto de ler e ver filmes com relatos da Segunda Guerra e, acho que o que faz dessa obra mais enriquecedora é mostrar a perspectiva do pós guerra e as consequências e sequelas que aquela época deixou na vida dos que conseguiram sobreviver.
      Muito obrigada, ouvir isso de você é um elogio sem tamanhos! Sei nem como agradecer! ♥

      Excluir
  4. Você escreve muito bem Thay! Parabéns.
    Eu vejo esse livro sempre quando vou na Saraiva e sempre fico com vontade de comprar.
    Qualquer dia vou abrir a mente e dar uma chance aos HQs!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Jaque!
      Acredito que você não irá se arrepender se der uma chance aos quadrinhos, tem obras para todos os gostos: ficção, fantasia, biografia, mitologia, enfim...
      Maus é uma ótima aquisição e um bom jeito de desvincular quadrinhos de super-heróis!
      Beijão e até mais! ^^

      Excluir