30 de janeiro de 2016

Bando de Dois, Danilo Beyruth

E ai pessoal, tudo bem?

Pra começar, quero ressaltar que embora nem todos os amantes dos livros simpatizem com a 9ª arte, eu como defensora e fã, fico feliz em fazer a minha parte e tentar mostrar quanta coisa maravilhosa os Quadrinhos/Graphic Novels têm pra nos proporcionar.

Em razão disso, não poderia deixar passar em branco o dia de hoje. Pra quem não sabe, dia 30 de janeiro, é o dia nacional do Quadrinho (ou dia do Quadrinho Nacional). Em razão disso, hoje venho falar de uma das melhores HQ’s nacionais que já li: "Bando de Dois", do brasileiro Danilo Beyruth.


Eu escolhi essa HQ pra esse post porque além de nacional ela traz um cenário propriamente nosso: a Caatinga, sendo ambientado no cangaço. Trazer esse movimento social tão conhecido da nossa história (para bem ou para mal) para o centro da trama certamente é algo que merece destaque, mas Bando de Dois vai além disso e deve ser lembrado também por sua simplicidade e qualidade.

Os protagonistas da história, Tinhoso e Caveira de Boi, são os últimos de um bando de cangaceiros que foi emboscado pelos “macacos” (polícia), que orgulhosos da vitória pretendem exibir, na capital, as cabeças dos cangaceiros mortos como troféus.

Num delírio, Tinhoso vê os mortos de seu bando e o falecido líder deles, Otonho, que pede para que ele os liberte, livrando-os da vergonha pública. 

Ele encontra Caveira de Boi e os dois seguem, cada um com seus motivos, numa jornada para vingar seus companheiros e livrá-los da iminente humilhação.

Bando de Dois mostra os cangaceiros, como eles realmente eram: homens cruéis e sujos, andando com suas espingardas e peixeiras afiadas Sertão adentro sem poupar esforços (ou sangue) para alcançar seus objetivos. Não há donzelas em perigo ou mocinhos aqui, apenas homens sem leis que aterrorizavam lugarejos e vilas.

Nesse contexto, nos deparamos com Nova Nazaré, um vilarejo miserável que aos poucos está sendo engolido pelas dunas e cujos habitantes são meia dúzia de fanáticos religiosos. Este é o ambiente em que Tinhoso e Caveira de Boi preparam para fazer uma emboscada para a volante do Tenente Honório.
Embora o enredo da história seja curto e simples, isso não diminui em nada sua qualidade, é uma obra maravilhosa que vale muito a leitura, sem dúvidas. Também tenho que falar da arte sensacional da HQ, feita toda em preto, cinza e branco, que ajuda a garantir um ritmo frenético à história e nos faz entrar ainda mais facilmente na paisagem seca e castigada da trama.  

Bando de Dois ganhou vários prêmios no ano de sua publicação, entre eles o de Melhor HQ Nacional de 2010 tanto pelo Blog dos Quadrinhos quanto pelo Site Universo HQ. Além disso, também ganhou em 2010, o Premio HQ MIX (uma das mais importantes e tradicionais premiações dos quadrinhos brasileiros) em três categorias: Melhor Edição Especial Nacional , Melhor Desenhista Nacional e Melhor Roteirista Nacional (todos referentes ao ano de 2010).Embora o enredo da história seja curto e simples, isso não diminui em nada sua qualidade, é uma obra maravilhosa que vale muito a leitura, sem dúvidas. Não dá pra deixar de mencionar a arte sensacional da HQ, que ajuda a garantir um ritmo frenético à história.


Para mim, que nunca gostei muito de histórias de bang-bang, faroeste e afins, Bando de Dois foi uma grata surpresa! Uma leitura gostosa, rápida e uma obra primorosa. Recomendo muito!

Quem se interessou e quiser adquirir, o preço da HQ varia de 36 a 41 reais e ela está disponível em várias livrarias e pra compra na própria editora também (Zarabatana).

Espero que tenham gostado da dica, beijo e até mais! 


    Share on Facebook Tweet about this on Twitter Share on Google+ Pin on Pinterest Share on Tumblr Digg this Share on LinkedIn

5 comentários :

  1. Eu lia muitos quadrinhos quando era criança (assinava Turma da Mônica e tudo hahah), só que depois de velha acabei deixando isso de lado, mas ultimamente eu tenho voltado a ler vários e estou curtindo muito a experiência!
    Bando de Dois parece ser bem legal, eu realmente não conhecia antes, e o fato de ser nacional só me chama mais atenção. Acredito que lerei sim!
    Gostei daqui, segui o blog. :)

    Abraço,
    Mago e Vidro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem muita coisa boa nos quadrinhos e assim como na literatura: tem obra pra todos os gostos, até sobre cangaceiros, como é o caso. Hahaha
      Fico muito feliz que tenha gostado daqui! Seja muito bem vinda e obrigada por seguir. :)
      Beijo e até mais!

      Excluir
  2. E depois a gente acha q no Brasil não se produzem certas coisas! Não conhecia essa HQ, e acho sempre válido a gente valorizar oq vem da nossa terra! Ainda mais sendo o Brasil tão grande, as obras literárias tem o poder de nos fazer conhecer um pouco mais do noss país, da sua história e sua cultura.
    Mto obrigada por me relembrar do "PN", tinha perdido o link pro teu blog nos marcadores do navegador qnd fui logar aqui no Brasil e não lembrava o endereço :/ Mas já salvei de novo! :)
    Bjão, Thays! :3 Seu texto está perfeito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Enoá!
      Temos muitos quadrinistas bons no Brasil, inclusive, "exportamos" alguns deles, um bom exemplo é a HQ "Vampiro Americano", do Scott Snyder que tem participação do Stephen King no roteiro e é desenhado pelo brasileiro Rafael Albuquerque.
      Realmente fico muito feliz em lhe ver por aqui e espero sempre poder te dar boas dicas e ver suas ótimas resenhas depois!
      Beijão e até mais!

      Excluir
  3. Achei bem legal a proposta de uma história que envolve essa parte tão castigada do país. Seja pela seca, seja pelo preconceito alheia, seja por qualquer outra coisa.
    As ilustrações também me parecem muito bem feitas. Anotada a dica! ^^
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir